27
Out 08
publicado por Paulo Jerónimo, às 10:43link do post | comentar

G.D. NAZARENOS 0 - 4 A.D. PORTOMOSENSE # ficha do jogo

 

ESTÁDIO MUNICIPAL DA NAZARÉ

Árbitro: Márcio Ferreira

 

 
 

Nazaré: João Carlos, Bruno Vidinha, Rui Hilário, Nuno Robalo, Luis Mendes, Álvaro (8' Pedro Morais), Hugo Pereira (45' Cristiano), Fabinho, Tiago Domingos, Rui Codinha, Ricardo Mafra (82' Cláudio Mafra)

Cartões Amarelos: Nuno Robalo (26' e 69'), Pedro Morais (75')

Cartões Vermelhos: Nuno Robalo (69')

 

Portomosense: Sérgio, Gigas, Pedro Órfão, Morgado, Paulo, René, Miranda, Bruno Francisco (57' Joel), Jackson, Elton, (74' Hugo Almeida), Ferraz (62' Juliano)
Cartões Amarelos: Jackson (12'), Elton (31')
Marcadores ADP: Elton (5'), Joel (70'), Jackson (78'), Miranda (80')


 

Resultado ao intervalo: 0-1   *******   Resultado final: 0-4 

 

No passado domingo, a equipa de Porto de Mós deslocou-se ao Estádio Municipal da Nazaré para um "tira-teimas" com o seu adversário mais directo na classificação da divisão de honra da AFLeiria. Esperava-se um jogo renhido e emocionante. O golo da formação Portomosense surgiu cedo - aos 5 minutos - através de Elton e até ao intervalo o resultado poderia ser outro não fosse as intervenções do guarda-redes João Carlos ou a escassa pontaria nesta 1ª parte. No minuto 17' surge um livre frontal a favor da turma nazarena, mas a bola saiu directamente contra a barreira.

Aos 28' Bruno Francisco (neste jogo alinhou a extremo) centra para Jackson que estava bem posicionado na área, mas o nº17 rematou à figura. A equipa da casa quis mostrar o porquê de também estar em 1º lugar e tentou criar algum perigo para a baliza de Sérgio tirando partido dos lances de bola parada, mas a finalização foi sempre àquem do necessário. A melhor oportunidade para a equipa de Zé Carlos virar o marcador surgiu ao minuto 39, num lance contestado pelo Portomosense: Gigas ficou estendido no chão queixando-se de uma cotovelada. Rui Codinha ao ver que o árbitro nada assinalou, seguiu com a bola para a área e cruzou para Tiago Domingos mas este desperdiçou cabeceando para fora. Até ao intervalo o resultado manteve-se, adivinhando-se uma 2ª parte bem disputada.


Para o segundo tempo, Zé Carlos alterou o esquema táctico da equipa para um 4x4x2 mas pouco eficaz já que esta mudança não trouxe a lufada de ar fresco que a turma Nazarena necessitava. As jogadas de ataque por parte do Portomosense começaram a "chover" e o cruzamento de Miranda aos 67' para Jackson faz parte dessa estatística, mas o Cabo-Verdiano estava a ter uma tarde infeliz e rematou de novo para as mãos de João Carlos. Dois minutos depois na sequência de uma falta feia sobre o adversário, Nuno Robalo acabou por ver o segundo amarelo e ser expulso da partida ficando a sua equipa ainda mais vulnerável. Com um meio campo "fresquinho" e boas movimentações tácticas, o segundo golo da partida não tardou e ao minuto 70', Joel aumentou a vantagem para 2-0. As poucas jogadas de ataque que surgiram dos pés dos Nazarenos foram "fuziladas" pela defesa Portomosense onde constavam os experientes Pedro Órfão e Morgado. A equipa da casa quase "não respirava", tal era o ritmo de jogo implementado pelo seu adversário. Ritmo esse que acabou por dar frutos: aos 78' Jackson, numa jogada individual pelo lado direito, dribla a defesa e chuta o esférico para o fundo das redes fazendo o 3-0. Por esta altura, já alguns adeptos abandonavam o estádio desanimados com a forma como a sua equipa perdia na sua própria casa. O quarto e último golo surgiu ao minuto 80: Joel recebeu do lado esquerdo, fintou o defesa e colocou em Miranda que, driblando o guarda-redes, fechou as contas em 4-0.

A formação nazarena comandada por Zé Carlos ficou áquem das espectativas e mostrou-se sem argumentos. Neste jogo em particular, o meio campo não funcionou como um todo e a defesa, algo lenta, sentiu dificuldades em parar as trocas ofensivas do seu adversário.

A equipa de Porto de Mós venceu e convenceu. Apresentou um futebol fluído consolidado por uma defesa experiente e um meio campo criativo que deram bastantes dores de cabeça ao seu adversário.

Relativamente a Márcio Ferreira à a salientar que em vários momentos do jogo se mostrou demasiado "piquinhas" cortando vários lances de ataque em detrimento da aplicação da lei da vantagem. Foi notório que o juiz da partida quis ter mão nos jogadores mas acabou por fazê-lo da pior forma possível, prejudicando um pouco o espectáculo.
 

por Marisa Góis
 

#: no comando da tabela

Rumo à subida!!!
Parabéns
Pedro Oliveira a 29 de Outubro de 2008 às 14:49

pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


blogs SAPO