27
Jan 09
publicado por Gil Garcia, às 18:01link do post | comentar

INFANTIS SUB12-A

SL MARINHA (1) - (1) AD PORTOMOSENSE

 

Os Sub12-A da ADP empataram à um golo no campo do SL Marinha, jogo referente ao 1º torneio da AF Leiria Série C. Esta série, com oito equipas, disputada a uma só mão, tinha o primeiro lugar da tabela  garantido pelos pupilos de Quim-Quim já na jornada anterior.

 

Por isso a ADP inicia o jogo com os atletas menos utilizados do plantel. As suas capacidades eram suficientes para ganharem o jogo, e tudo fizeram para marcarem pelo menos um golo, mas na baliza adversária estava um guarda redes que foi o melhor jogador em campo pelo SLM. Já os ataques  da Marinha eram facilmente anulados pela nossa defesa.

 

Há que dize-lo, os Marinhenses contaram ainda com ajuda de dois árbitros que vestiam literalmente com fatos de treino do SL Marinha e na realidade não conseguiram por "a razão à frente da paixão".

 

Na segunda parte, a dupla de FORMADORES Quim-Quim/Nuno, lançam os atletas com mais rotina de jogo para tentar levar de vencida a equipa contraria. E logo na primeira jogada, num remate realizado pelo lado direito do nosso ataque a bola passa rente ao poste mais distante da baliza do SL Marinha. Do respectivo  pontapé de baliza, os nossos rapazes ganham a bola no meio campo e marcam o primeiro golo da partida.

 

O jogo continua, e  se na primeira parte a tal dupla do apito não assinalava penaltys claros a favor do Portomosense, por outro lado permitiam que atletas da ADP fossem agredidos com pés em riste ao nível da cara, e nem árbitros, nem  treinador, nem nada! Não havia ninguém que os chama-se a razão de quem ali está para ser formado.

 

E continuaram na segunda parte a não marcar faltas perigosas à entrada da área, assinalavam bolas fora que por quinze ou vinte centímetros não tinham saído, e como tudo é fruto do meio em que se é criado/formado, até houve atletas nossos que depois sofrerem faltas e o jogo estar interrompido para serem assistidos, foram pontapeados "pela calada" levando roda de estarem a fazer ronha.

 

A juntar a isto, os jogadores da Marinha usavam e abusavam de linguagem obscena para com os seus adversários e familiares, linguagem essa que entendemos, não é digna nem possível de reproduzir  neste espaço. Tivemos portanto de ser criteriosos até nos referidos lances violentos (gravados, som e imagem) mas que acreditamos só prejudica reproduzi-los, pelo que optamos em corta-los do vídeo mais abaixo, (mas que os houve e existe registo, existe).  De resto esta era precisamente a mesma linguagem utilizada pelo treinador do SL Marinha, constantemente, e em tom intimidatório se dirigia para com o seu próprio grupo de formandos.  

 

Nada mais podia fazer a equipa visitante, e nada mais apelava o civismo dos pais portomosenses que não fosse o apoiar os seus filhos enquanto equipa, e ignorar as provocações. Os nossos miúdos bem corriam, a entrega era total mas acabaram por sofrer o empate com que acabou o jogo (1-1).

 

Não temos qualquer problema em ser derrotados, o que é, é de lamentar pelos atletas em  FORMAÇÃO no SL Marinha, que diga-se, não é caso único pela Distrital. Que jovens -amanhã homens - formamos?

Em contrapartida temos de elogiar e reconhecer no que nos toca, a Instituição ADP,  quem o faz , e como o faz.. Desde já o meu OBRIGADO na contribuição para a formação pessoal do meu filho mais novo.

 

Outro factor agradável,  foi presença dos familiares e da equipa Escolas A, liderada pelo formador/treinador Morgado que se fizeram representar depois de terem acabado o seu jogo que teve inicio uma hora e meia antes e se disputou no mesmo campo (empate 4-4).  

Gil Garcia.

 

 


Enquanto preparávamos o vídeo para este artigo ser publicado, como é nosso costume, em conjunto, tive oportunidade de ver, ouvir e trocar opinião com o Gil sobre muito do que parece ser facto mais que consumado por esse nosso futebol e demais desportos de formação , que andam por aí. Mencionava-lhe ontem um episódio que aqui atrasado o Pedro Oliveira contava, fazendo lembrar este que o gil relata, precisamente também num jogo do mesmo escalão, onde joga o seu filho, Escola do Sporting da M.ª Grande, e de as duas por três, ficar parvo por ver num jogo um treinador(?!) dar uma bofetada a um atleta como represália pelo que devia ser (no entender do homem) o fraco ou mau desempenho do miúdo. Estas coisas têm de ser denúnciadas.
Então mas agora não é crime, lei aprovada em assembleia da Republica, um pai dar uma bofetada num filho? E um treinador aplicar violencia fisica ou verval sobre um formando, é o que?

Não deixa de ser curioso que este gênero de atitudes, estão nao raras vezes associadas com individuos de gerações do tempo da "oura senhora".

As coisas evoluem, atletas, clubes e instituições, seja o que for, já não se gerem "à lei" bofetada e da brutidade à moda do antigamente. E Enquanto muita coisa e gente, seja no futebol / desporto local, nacional ou seja no que for não se regenerar, completamente, e afastar quem não sabe gerir as situções doutra forma que não à bruta, à bofetada, etc... não se passa da cepa torta e afastam quem tem gosto pelo essencial. a formação, o espectaculo, o desporto.

De louvar ver tanta juventude bem formada e o esforço feito por isso, na nossa ADP, que lá vai sabendo trilhar o seu caminho, fazendo e desfazendo as suas próprias curvas e contra curvas.

Espero que este clube possa continuar sempre a saber melhorar e evoluir, acompanhando os tempos.

ADP sempre!
Paulo Jerónimo a 27 de Janeiro de 2009 às 21:53

PS: E faço a alusão: "Não deixa de ser curioso que este género de atitudes, estão não raras vezes associadas com indivíduos de gerações do tempo da "outra senhora" - porque se bem entendi, era o caso do treinador mencionado.
Paulo Jerónimo a 27 de Janeiro de 2009 às 22:33

Esse é o PROBLEMA do nosso país a EDUCAÇÃO.Por isso é que enalteci o Quim Quim e a sua equipa como o Alcino nas Andorinhas.Qundo "jogámos" no SL Marinha também o tentaram mas como aos 15 min já ia em 0-5 a coisa acalmou(provocações).Era bom que se fizessem chegar estes relatos à AFLeiria par que se tomamdas medidas oncretas em relação a este assunto.
Um abraço solidário a todos e quantos mais formos a mostrar indignação, pode ser que ajudemos a mudar estas situações.Nós pais temos esse DEVER!
Pedro Oliveira a 28 de Janeiro de 2009 às 14:23

Paulo, dei quase tantos erros quantos tu deste no Vila Forte.
Pedro Oliveira a 28 de Janeiro de 2009 às 16:51

Peço ao administrador do blogue, Paulo César, que substitua o meu anterior comentário, que ficou imperceptivel derivado a erros gerados pela ferramenta correctora de texto do sapo, e que faça constar este que se segue com a mensagem devidamente e na integra.
Obrigado.

___________
Paulo, depois da conversa que tivemos e dos teus comentários gostava de deixar algumas notas:
Nota 1- Não tem tanto a ver com a idade, porque existe treinadores da nova e velha geração a dar incentivo ao confronto físico sempre que de outra maneira não seja possível parar os adversários
Nota 2- É um facto, que quanto mais avançamos na idade mais difícil é a mudança, e se estiver na copula da hierarquia do poder é pior, porque não se predispõe nem ninguém se sente muito à-vontade para o chamar a atenção.
Conclusão destas duas notas: Enquanto alguns, acharem que não vale apena olhar a meios com o fim de se promoverem e/ou gostarem do vicio do poder, a maneira mais fácil e rápida de encherem o seu ego passa clubes desportivos. Quem perde e sofre são os formandos. Por isso o desporto de formação devia ser interescolar e o de sénior nos clubes. mas os políticos não querem, porque muito devem a este vicio sem princípios , porque é disso que estamos a falar, é que assim o povo fala da falta de princípios com emoção e não fala da razão problemas sociais, económicos , etc.
Nesta área de formação como em todas as outras, para se ser tem que se ser primeiro, enquanto ao dirigismo desportivo, só quando alguns esquecerem o seu ego e passem a semear para que anos mais tarde outros colham.
Por isso companheiro Paulo, o problema não é de geração , é da falta de princípios políticos , sociais, culturais.
Nota 3- Os confrontos desportivos deviam todos ter moderador neutro às duas partes, para não acontecer o que se passou no campo do SL Marinha. Estamos todos de acordo, o problema é que não existe árbitros, a própria AF Leiria já em tempos propôs que cada clube ao inscrever uma equipa ou duas (não me recordo bem) tivesse que apresentar também alguém para a aprendizagem da arbitragem. Existe jovens que gostam, mas não tem jeito para a pratica efectiva, mas que dariam um bom arbitro. É um dever clubes, pois muitos destes praticantes ao verem que não tem jeito para a modalidade entrega-se outros vícios menos aconselháveis.
Nota 4- O nosso Presidente Sr. Luís Costa, escreve-o que se ia recandidatar . Fico feliz, porque a ADP tem mostrado que através dos seus treinadores tem como objectivo ganhar mas também formar.
Espero que o escrevo a seguir seja visto como uma critica construtiva:
1-Sr . presidente, onde em primeiro lugar devia anunciar claramente a sua recandidatura era neste blog que é de todos os sócios, praticantes, adeptos e não num outro qualquer blog, com a minha devida vénia ao local onde o fez.
2- Como reconheço a vossa equipa, com dos os custos pessoais e familiares o bom trabalho feito, a inteligência, o dinamismo e sei que estão sempre na procura do melhor para servir a instituição e logo todos nós, como tal abertos a reparos feitos também com esse mesmo objectivo.
E como também lhe digo na crónica , obrigado ADP pela formação pessoal do Miguel Garcia irmão de um outro, que são meus filhos, e não de um "olho vivo" qualquer.

Gil Garcia
gil garcia a 28 de Janeiro de 2009 às 17:19

gIL,
Lógico que a questão "Geração" tem que ver é com "atitude" e não geração A ou geração B, mais velhos ou mais novos, É uma questão de atitude, que era mais típica e aceite noutros tempos. É no fundo o que eu quero dizer, mas provavelmente não fui eficaz no que queria transmitir.
Acabas por me corrigir, ou chegar ao cerne da questão do que me ia na ideia.
Paulo Jerónimo a 28 de Janeiro de 2009 às 17:57

Boa tarde meu caro amigo

É um facto que reconheço dever fazer qualquer comunicação dessa indole neste espaço, no entanto, não o fiz aqui, por não ter sido ainda oportuno falar sobre esse assunto, e disse naquela altura e naquele espaço, noutro contexto.
E um facto que irei concorrer às eleições no próximo mês de Março, e não me surpreende de forma alguma o que dizes, pois estou inbuido do mesmo espirito que tu, pensamos a ADP da mesma forma, embora por vezes não estejamos de acordo, com isto ou aquilo.
Gostaria no entanto de dizer, que era com muito gosto que via o aparecimento de mais listas para esse acto eleitoral, pois só iria dignificar a "senhora" ADP, como bem dizes.
Um abraço deste teu amigo, de ontem, de hoje e de sempre
Luis Costa a 28 de Janeiro de 2009 às 18:05

pesquisar
 
arquivos
2019:

 J F M A M J J A S O N D


2018:

 J F M A M J J A S O N D


2017:

 J F M A M J J A S O N D


2016:

 J F M A M J J A S O N D


2015:

 J F M A M J J A S O N D


2014:

 J F M A M J J A S O N D


2013:

 J F M A M J J A S O N D


2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


2003:

 J F M A M J J A S O N D


2002:

 J F M A M J J A S O N D


2001:

 J F M A M J J A S O N D


2000:

 J F M A M J J A S O N D


blogs SAPO